Projeto piloto: Educação de adultos em montador de automação EFZ

Blog_Diplom.jpg
Insights Leister

Janine Kaufmann (39) e Alberto De Sousa (42) da Leister Technologies AG, Suíça, fizeram parte do segundo curso piloto de Automation Assembler EFZ para educação de adultos no Cantão de Obwalden, Suíça. Leia abaixo para saber mais sobre a experiência deles nesta entrevista.

Entrevistador: Silke Landtwing, Gerente de Comunicação Corporativa, Leister Suíça

Carga de trabalho de 100% mais aulas à noite na sextas-feiras

Em contraste com um estágio normal, Janine e Alberto frequentaram a escola nas noites de sexta-feira. Além disso, Alberto sempre teve aulas de educação geral por Skype às terças-feiras. Ambos fizeram o curso em meio período e mantiveram sua carga de trabalho normal na Leister. Isso significou que eles não tiveram nenhuma perda financeira, ou seja, redução de salários.

O compromisso e o esforço deles foram recompensados uma vez que foram aprovados no exame final. Alberto, até mesmo com "menção honrosa", porque alcançou 5,4 como sua nota final. (Na Suíça, essa distinção é concedida para a classificação de 5,3 ou superior). Descubra o que Janine e Alberto dizem sobre o tempo em que foram estudantes e se eles recomendariam o aprendizado para outras pessoas na entrevista abaixo.

Janine, você já concluiu com sucesso seu curso EFZ de florista profissional. O que levou você a decidir concluir este segundo curso?

Eu estava pensando em treinamento ou educação adicional há algum tempo, por realmente gostar de trabalhar na Leister e queria continuar crescendo profissionalmente. A única coisa que eu realmente não sabia era a direção que eu queria seguir com meu treinamento, porque um aprendizado "normal" estava fora de questão para mim, financeiramente. Em algum momento, meu supervisor Markus Rohrer conversou comigo sobre treinamento como montador de automação EFZ (EFZ é um diploma federal de educação e treinamento profissionalizante na Suíça) e deu algumas informações sobre isso. Depois de pensar por um tempo, vi que isso era o aprendizado perfeito para mim. Felizmente, não precisei reduzir minha carga de trabalho por essa razão, e com a proximidade da minha casa às aulas no Obwalden Vocational and Continuing Education Center (BWZ) ficou ideal. Além disso, achei o período de treinamento de dois anos ótimo para minhas necessidades.

Alberto, este é o primeiro EFZ que você concluiu com sucesso. Foi uma decisão fácil para você dizer “sim” a este treinamento adicional?

Não, não foi tão fácil. Tive uma primeira conversa com meu supervisor Peter Christen, quando ele me fez a oferta. Essa conversa foi apenas o começo. Peter me motivou a participar e forneceu dicas valiosas durante o curso. Depois da conversa, primeiro precisei de algum tempo para pensar em algumas coisas. Minha esposa tem um emprego e temos dois filhos em idade escolar. Então cheguei a pensar se isso não seria demais para mim. Depois vieram as discussões com toda a família. Ficou rapidamente claro para todos eles que eu não deveria perder esta oportunidade de forma alguma, e eles me apoiariam. Para Carla, minha esposa, significou assumir parte do meu papel como pai, além do trabalho, casa e muitas outras responsabilidades dela. Meu irmão e a esposa assumiram o cuidado de nossos pais. Só após a certeza de que eu teria apoio suficiente, finalmente aceitei a oferta.

Uma pergunta para vocês dois: Quais são as tarefas práticas de um montador de automação? Quais tarefas esperam por você como montador de automação aqui na Leister?

Janine: Na Leister, monto circuitos eletrônicos, soldo com a máquina de solda ou manualmente e testo parcialmente os circuitos. Além disso, monto os conjuntos de fios e controles necessários para os soldadores automáticos. O processamento de cabos também faz parte das minhas atividades. Minha agenda diária também inclui várias tarefas de medição e testes.

Alberto: Como um todo, minhas tarefas continuam mais ou menos as mesmas. O que mudou, no entanto, são minhas perspectivas. Agora tenho novos conhecimentos e habilidades que ajudam a realizar minhas atividades na Leister ainda com mais sucesso. Sem querer reinventar a roda, questiono processos e me esforço visando a otimização. Realmente gosto de transmitir meu conhecimento para minha equipe, em um esforço para ajudar todos a continuarem a crescer.

Qual foi o seu maior desafio durante esses dois anos de treinamento?

Janine: Houve vários desafios durante o estágio. O primeiro foi voltar à escola e aprender novamente depois de muito tempo. Estudar em casa também exigiu muita disciplina, bem como o exame no meio do curso no verão de 2020. Logo depois disso, precisei começar a preparar meus trabalhos práticos individuais (abreviado, IPA). Completei IPA em fevereiro de 2021 e isso foi o maior desafio para mim durante o período de treinamento. Depois de uma pausa curta, comecei a estudar para os exames escritos, que aconteceram em junho de 2021.

Alberto: A coordenação de trabalho, família, escola e muito estudo foi um desafio para mim.

Quem o apoiou nisso?

Janine: Eu sempre pude contar com o apoio do meu namorado e da minha família. Meu supervisor, Markus Rohrer, também foi muito solidário, e sempre pude fazer perguntas a ele se não entendisse bem as tarefas na escola. Quanto a IPA, devo muito a Andreas Molin. Ele era meu supervisor e estava sempre ao meu lado.

Alberto: Minha lista é longa. Tive o apoio de uma equipe excelente, começando com meu supervisor, Peter Christen, que tem sido meu mentor desde o início. Ele me motivou em momentos cruciais e me deu a autoconfiança que eu precisava.

Meu supervisor, Andreas Molin, também me ajudou muito. Além de tudo, ele planejou meu IPA com Peter Christen e ficou ao meu lado até que eu a concluísse.

Também tive um apoio valioso de Thomas Müller, chefe de treinamento vocacional na Maxon Motor AG, e seus colegas de equipe Bruno Rütter, processamento mecânico, e Hubert Ammann, fiação/testes, que foram meus contatos até o IPA.

Alberto: Você é um chefe de família e trabalha 100%. Foi difícil equilibrar uma família, trabalho e curso?

Sim, muito. Tive muito pouco tempo para minha família. Agora valorizei ainda mais a minha esposa por seu apoio incondicional.

Janine: Como você se sentiu em relação a esse esforço extra?

O compromisso de tempo foi maior para mim no primeiro ano do que no segundo. No primeiro ano do curso, passei em média seis a oito horas por semana estudando. Além disso, houve o tempo de preparação para o exame intermediário.

Muitas vezes tirei meio dia e me preparei para o exame na Maxon Motor AG em Sachseln. Além disso, os horários de trabalho reduzidos que estavam temporariamente em vigor devido à pandemia do coronavírus ajudaram.

Do que você particularmente sente orgulho?

Janine: Ter sido aprovada com sucesso no estágio do Artigo 32. Aprender tanto em tão pouco tempo e passar nos vários exames é um desafio.

Alberto: Sinto orgulho da minha perseverança e de ter alcançado o Diploma Federal de Educação Vocacional e Treinamento (EFZ) com uma nota tão boa.

Você recomenda esta educação para outras pessoas? Em caso afirmativo, para quem e por quê?

Janine: Recomendo este curso interessante para qualquer pessoa que esteja disposta a investir dois anos intensivos para promover o desenvolvimento profissional. As conversas com os outros alunos também foram muito valiosas. A única coisa que perdi em aula foram exemplos mais práticos.

Alberto: Recomendo o treinamento para qualquer pessoa que esteja interessada em engenharia elétrica e mecatrônica, que trabalhe neste campo ou queira expandir seu conhecimento e habilidades.

Supondo que eu esteja interessado, com quem devo entrar em contato na Leister?

Janine e Alberto: Erika Windlin, gerente de recursos humanos e chefe de aprendizes do Grupo Leister.

Gostaria de agradecer a alguém?

Janine: Em primeiro lugar, gostaria de agradecer a todos os envolvidos na Leister. Sou muito grata por ter tido essa oportunidade de continuar minha educação e acho que isso foi um privilégio. Vejo isso como um grande sinal de valorização. Muito obrigado também ao nosso professor. Nem sempre foi fácil para ele transmitir tanto conhecimento especializado em um curto espaço de tempo. Há muitas outras pessoas que eu poderia mencionar, então eu não quero esquecer de ninguém. Gostaria de agradecer a todos aqueles com quem eu pude contar.

Alberto: Gostaria de agradecer a todos que mencionei antes por seu grande apoio. A Leister me contratou depois de concluir minha educação obrigatória em 1995. Agora, quase 26 anos depois, sou muito grato à Leister por me oferecer esta oportunidade. Também gostaria de agradecer a ajuda que recebi de todos os meus colegas.

Também agradeço você, Silke, por aguardar pacientemente minhas respostas para esta entrevista. O tempo de alguma forma sempre foi muito curto (risos). Espero não ter esquecido ninguém. Se eu o fiz, peço desculpas com antecedência.

Muito obrigado a vocês dois pela interessante entrevista e o insight de dois anos empolgantes de aprendizado. Em nome da Leister, parabéns por concluir este curso com sucesso.

LT_Erika-Windlin_HR_01--5.JPG
Seu contato
Erika Windlin

Erika Windlin é a líder da equipe de recursos humanos da Leister AG e é responsável pelo pagamento de salários e treinamento.