Processo de revestimento

LT_Coating_process_IF_AP_02.jpeg
Em processos de revestimento por máquina, o infravermelho ou ar quente é essencial para uma cadeia de processos completa.

Em processos de revestimento, a introdução de calor pode ocorrer antes ou depois da aplicação do material de revestimento. Alguns processos exigem pré-aquecimento do substrato para aumentar a adesão. Outros exigem que os processos de reação sejam ativados por calor, fornecidos com calor suficiente ou evaporados com solvente depois de o material de revestimento ter sido aplicado.

Revestimento com ar quente

No revestimento de superfícies, o tratamento prévio das superfícies desempenha um papel-chave na determinação da qualidade e da durabilidade do revestimento.

LT_Coating_process_IF_AP_01.jpeg

Para praticamente todos os processos de revestimento, é necessário executar a limpeza e o desengorduramento completos. O ar quente pode ser usado para eliminar o resíduo de agentes de limpeza líquidos e solventes, preparando, assim, as superfícies para a próxima etapa do processo com rapidez e confiabilidade.

O ar quente também é usado para processos que ocorrem a jusante da própria operação de revestimento. Por exemplo, alguns sistemas de revestimento precisam ser curados por calor enquanto o verniz é seco e curado utilizando ar quente.

Revestimento por imersão com infravermelho

LT_IP_Coating_Embosing.jpg

O revestimento por imersão é um processo padrão nas indústrias têxtil e de papel. Neste processo à base de solventes, é necessário secar completamente o tecido ou o papel, o que é agilizado graças aos aquecedores infravermelhos da KRELUS. Esses aquecedores asseguram uma regulação do processo passível de reprodução e segura devido, em grande parte, à sua capacidade de controle excelente e a períodos de reação curtos. Essa etapa do processo é concluída utilizando-se radiação IR sobre os revestimentos que polimerizam após o processo de revestimento por imersão.